sempre infâncias

o mundo, era do tamanho
da rua da minha casa à
escola professora Kazuco Ohara

de tão pequeno, ele era bonito

no campinho fiz meus primeiros gols
e ali experimentei o nascer da inveja:
como jogava bem o tal do Saraiva

de tão bom, a gente tinha medo

cresci em uma descida, e o
desejo era ser o time a atacar para cima
– ainda tento entender o porquê.

de tão torto, meu coração só conheceu enxurrada

naquele dia eu conheci Renata
tinha sorriso bonito e pele
que entendi morena. pouco toquei

de tão longe, evaporou de todas as tardes

foi a primeira, onde tudo ainda é.
ainda vou à escola no depois do almoço
enquanto Renata deixa a rua vazia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s