beirais

e o amor era tão somente
seus vestidos estampados

os frascos esparramados
sobre a pia do banheiro

as malas retornadas de
mais outra breve viagem

os livros esperando olhos
sobre os criados mudos

as telas coloridas nas
salas de estar

as fotografias de família
esperando nas paredes

os discos de vinil no
silêncio do armário

as panelas azuis entre
as marcas do domingo

os brinquedos pela casa
o sono da nossa menina

e o amor era tão somente
aquilo que abrigava a gente

o cobertor de lã e os corpos
das garrafas de Malbec

o orçamento a ser preenchido
e o longo vidro de macarrão

as chaves dependuradas e as
sóbrias garrafas de cachaça

as férias no horizonte e as
festas de aniversário

os amigos que virão no
sábado a se passar

o café na padaria e os
cachorros pela calçada

um embaraço de palavras e um
telefonema de saudade

os filmes que nos assistiram
desaparecer no fundo do sofá

e o amor era tão somente
uma coleção de pegadas

e nem era exatamente assim
mas a trama que fazia viver

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s