inventar palavras

gosto de invenção de palavras
plenitudiná-las
no quando quero

fosse assim um
pescador de sentidos
saia pelo mar
em dias claros
anzol sem isca
na persistência…

e vem.
cada palavra bonita

desilusão
vindima
caes
orvalho
silêncio
saudade
produção
invisível
contrário
enxergamento
amargura
amor-a-pinceladas

e vem. Tudo enroscado
tanta coisa
plenitude nonada

e vou.
eu,
pescador de palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s